sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Volta Logo

Volta logo
E toma conta de mim
Diz que já é o fim
Das coisas chatas da vida

Volta logo
E me deixa nos braços
Só nessa manhã
É hora de novo de ser
Estrela, espaço e divã

Eu sei, falta pouco
Mas volta logo
Eu sei, não é longe
Mas volta logo

Chove forte ali na frente
Mas contigo
No teu abrigo
Faz sempre domingo
De sol e céu azul

Então, pensei,
Volta logo
E diz que agora
É só a gente

Volta logo
Me abraça
E acha graça
Do meu jeito

Não me deixa aqui
Sozinho muito tempo
Volta logo
E toma conta de mim

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Um dia desses, organizando minhas gavetas, achei esses versos num caderno que nem lembrava mais que existia. Eles foram escritos ha uns seis ou sete anos atráz, e ao contrário de outros colegas de folha, acabaram ficando escondidos ali um tempão. Quando reli esse poema lembrei exatamente quando, onde e porque ele foi escrito, só não sei por qual motivo não teve o mesmo destino dos outros, ou seja, uma cartinha à quem se destinava. Considero esses versos um dos mais verdadeiros e sinceros que já consegui fazer até hoje, assim como refletem um período muito importante pra este escriba, por isso compartilho agora com vocês.

Um Bom Natal a todos!

2 comentários:

Ignarte disse...

Encontrei o blog!! Vou circular!! abrss

mths ávila disse...

Seja bem-vindo Ig! Será um prazer te ter por aqui.
Abração

Postar um comentário