sábado, 29 de janeiro de 2011

Não enche!

Sai de dentro desse mundo
feito doido varrido
vai te catar
e me deixa quieto
no meu verso doído

Não me torra a paciência
pelo que não é teu
Que coisa!
Endoideceu?

Vai pular noutro poço
sem corda e sem fundo
e vê se não enche
que esse espinho
é só meu

0 comentários:

Postar um comentário