sábado, 31 de dezembro de 2011

Pra terminar mais um: pra ti!

A sorte te cai tão bem
embora se precise de um azar
também

Viver te faz melhor
embora por vezes
seja preciso morrer
pra rebrotar

Dormir num sonho bom
daqueles que não se quer
mais acordar

Passar um ano inteiro
combinando fórmulas
e cálculos complexos
pra dizer

Que a sorte te cai tão bem
E viver te faz melhor
Dormir num sonho bom
que nunca sonhas só
arranjo o que posso
pra ajudar no teu querer

Assim como me fez
tão bem
também

        ---------------

Buenas, gurizada, cabou-se o Ano. 
Um abraço forte em todos os que passaram por aqui ao longo deste tempo. Deixo, humildemente, um "conselho" - que nem tem a pretensão de ser um conselho, mais uma dica mesmo - aos malucos que encontram algum fundamento nos versos desse Pedaço do Espaço: não tenham medo nem vergonha do que se sente. Gostem até gastar, se iludam, sonhem, sofram, morram e vivam. Façam as pessoas que são importantes se sentirem importantes. Nada é definitivo e nada é infinito: toda estrada tem um final, e o final de uma é o começo de outra. Já diria Fernando Sabino "No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim."


Só quem não tem medo dos sentimentos consegue ser feliz de verdade!
Um bom ano a todos nós!









sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Samba do Bomfim

Não precisa naufragar
tem terra firme nesse mar
nem é tão longe assim
não duvida do Bomfim,
não duvida

O Bomfim pediu pra ir
foi rumando sem se despedir
disse que estava de partida

- já que ninguém se anima
me vou,
não duvida de mim
não duvida -

E fez dum barco de pano
um plano pra atravessar
nem as rodas do oceano
conseguem segurar

Mesmo que esteja tão ruim
acredita no Bomfim
no final há sempre de ser
bem bom

Nêga, não duvida do Bomfim
mesmo que seja tão ruim  
o final pra gente há de ser
bem bom

sábado, 17 de dezembro de 2011

Chá de Sumiço

Ferveu a água
saiu fumaça
pode servir

Abriu com modos
a embalagem
pra não perder
nenhum grão

Põe na caneca
espera um pouco
esfriar

Pra mim, três colheradas
de açúcar
pra desamargurar

Chá de sumiço
quase sempre
eu preciso







domingo, 11 de dezembro de 2011

Plantação

O desafio não é  colher as melhores memórias da lavoura
o desafio é replantar memórias tão boas
quanto as que já estão aqui






sábado, 3 de dezembro de 2011

Eu Prefiro

Eu prefiro ser espaço
carregar muitos abraços
do que ser um sol nublado
ou uma noite desluada

Eu prefiro ser saudade
ser abrigo, ser vontade
do que ser uma estrada
que não dá pra atravessar

Eu prefiro ser só estrela
eu prefiro meu brilho constante
do que uma galáxia inteira
reluzindo num céu tão distante

Eu prefiro que me alcançe
eu prefiro que me encante
eu prefiro que aconteça
eu prefiro que me assuste

Eu prefiro gostar do meu jeito
imperfeito e tão apegado
eu prefiro um amor e um veneno
caminhar com a incerteza do lado

Quero a felicidade da loucura
e insandecidamente te amar
eu prefiro a incostancia
da tua tripolaridade
eu prefiro ser caminho
eu prefiro te plantar

E ver as tuas flores por ai
e ter as tuas flores no quintal
eu sugiro deixar tudo pra depois
eu prefiro o meu mundo desigual