sábado, 31 de dezembro de 2011

Pra terminar mais um: pra ti!

A sorte te cai tão bem
embora se precise de um azar
também

Viver te faz melhor
embora por vezes
seja preciso morrer
pra rebrotar

Dormir num sonho bom
daqueles que não se quer
mais acordar

Passar um ano inteiro
combinando fórmulas
e cálculos complexos
pra dizer

Que a sorte te cai tão bem
E viver te faz melhor
Dormir num sonho bom
que nunca sonhas só
arranjo o que posso
pra ajudar no teu querer

Assim como me fez
tão bem
também

        ---------------

Buenas, gurizada, cabou-se o Ano. 
Um abraço forte em todos os que passaram por aqui ao longo deste tempo. Deixo, humildemente, um "conselho" - que nem tem a pretensão de ser um conselho, mais uma dica mesmo - aos malucos que encontram algum fundamento nos versos desse Pedaço do Espaço: não tenham medo nem vergonha do que se sente. Gostem até gastar, se iludam, sonhem, sofram, morram e vivam. Façam as pessoas que são importantes se sentirem importantes. Nada é definitivo e nada é infinito: toda estrada tem um final, e o final de uma é o começo de outra. Já diria Fernando Sabino "No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim."


Só quem não tem medo dos sentimentos consegue ser feliz de verdade!
Um bom ano a todos nós!









0 comentários:

Postar um comentário