terça-feira, 29 de maio de 2012

Confraria do Cão (Um Dia de Fúria)

Saiu dizendo por aí
que era de fina linhagem
que sempre falava a verdade
sacanagem, meu bem
sacanagem

Caiu de um altar rente ao chão
dizia-se infinito, de vida e de sorte
mas que nada, era baita azarão
aviso, antes de ofertar o coração:
é um tremendo cuspidor
de bobagens

Ah, o que chamam de amor...
não é sentimento, nem nada
é coisa do cão, é coisa do cão

Sai pra lá, ô...
deixa um fim presse querer!



Hoje é assim,
amanhã, vai saber!

0 comentários:

Postar um comentário